terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Beabá, vamos começar?


Neste artigo um beabá do Alimento que o corpo precisa. Mas afinal, para que vocês estão dedicando tanto esforço em falar de Alimento, você pode se perguntar. 

Outro dia um amigo me confessou o quanto é difícil confiar em uma fonte de informação sobre alimentação, ou mesmo escolher uma para seguir. Por outro lado, atualmente é especialmente difícil porque as pessoas estão tão envolvidas com muitos projetos, desejos, obrigações e pressões que sequer pensam em se dedicar um pouquinho a elas mesmas.

No entanto, as pessoas amam demais e vida e querem viver! Ver até onde vão, onde conseguem chegar e o que realizam. E para viver dependemos do Alimento, simples assim.

Do nosso lado, aqui do Alimento e Você, o que posso dizer que queremos ajudá-lo a viver um pouco mais, ou um pouco melhor. Quem sabe ajudá-lo a reconhecer sua vitalidade por trás da vida automática que pode estar levando e passar a usufruir dela. 

Ter saúde, viver com felicidade constante e bem estar é algo que o bom Alimento pode lhe proporcionar. E como já falamos, estar no peso ideal é apenas uma das consequências desse processo, por isso comece do começo e vamos juntos, sem pressa e sem pausa.

Nossa forma de levar a informação à você é lhe explicando o porquê das coisas. Queremos que você assuma o controle da sua vida e passe a entender - dentre o tiroteio de informações que recebe - o que deve ou não fazer. Afinal, se você é quem escolhe o que ingere, então precisa entender o que ingere.









“Em hipótese alguma você concordaria em abastecer seu carro com um combustível de última categoria, verdade? Nosso corpo é como um motor de automóvel. As gorduras e os hidratos de carbono são o óleo e a gasolina; juntos são queimados, para a produção de energia e as vitaminas e os minerais são as velas de ignição, essenciais à utilização e assimilação do alimento, na corrente nervosa.”                                   
Auto-perfeição com Hatha Yoga, Prof. Hermógenes


Do que nosso corpo precisa em quantidades diárias?



E onde podemos buscar as proteínas, gorduras, sais minerais, carboidratos e vitaminas?  Numa infinidade de Alimentos! Essa é a parte fácil, a natureza é mesmo muito generosa. 
Vamos começar pelos grupos de alimentos e a proporção sugerida para a adequada saúde. Usando essa orientação começaremos entendendo o hábito saudável para depois falarmos dos alimentos em si.
Veja a definição de Prato Saudável segundo a Harvard - Escola de Saúde Pública:



O mesmo quadro, agora em português: 


A principal mensagem do Prato Saudável é focar na qualidade da dieta:
  • O tipo de carboidrato na dieta é mais importante do que a quantidade de carboidrato na dieta, porque algumas fontes de carboidratos como legumes (com excepção das batatas), frutas, grãos integrais e feijões - são mais saudáveis do que outros.
  • A Prato Saudável também aconselha os consumidores a evitar bebidas açucaradas, uma importante fonte de calorias, geralmente com pouco valor nutricional. 
  • A Prato Saudável incentiva os consumidores a usar óleos saudáveis, e não define um percentual máximo de calorias as pessoas devem obter por dia a partir dessas fontes saudáveis de gordura.


Esse novo formato substitui a conhecida pirâmide alimentar e é adaptado à realidade do mundo contemporâneo. 
Observe que os grupos estão divididos nas proporções metade para Vegetais e Frutas, um quarto para Proteína e um quarto para Grãos. 50% da alimentação diária deve ser composta de vegetais (legumes, folhas verdes) e frutas. 


Essa é uma realidade bem diferente do que estamos acostumados atualmente. Difícil? Não diria. Temos que estar atentos à mudança, nascemos e crescemos com hábitos alimentares e não é porque comemos de uma forma há anos que devemos seguir assim. 
Inicialmente falamos sobre os Xenoestrógenos, uma substância química presente nos alimentos, que podem “confundir” os receptores celulares de estrógeno, interferindo nas respostas bioquímicas e aumentando a concentração desse hormônio no organismo.
Alimentos de origem animal são a maior fonte de substâncias hormonalmente ativas, pois o tecido gorduroso e produtos à base de gordura animal, como leite e seus derivados, são grandes retentores de xenoestrogênios, bem como antibióticos, drogas veterinárias e hormônios para estímulo do crescimento. 
Na semana passada falamos dos 10 mandamentos do sistema imunológico e entendemos que nosso sistema imunológico necessita de uma gama de nutrientes para responder eficazmente a um agente agressor. Além disso, ele precisa funcionar num ambiente que não esteja poluído por hormônios prejudiciais ou quantidades excessivas de gordura e colesterol. 

Comece a considerar esses bons Alimentos: Semente de Girassol, Coco,
Chia, Arroz Integral, Linhaça, Aveia, Quinoa, Açúcar Mascavo e Grão de Bico

O correto é ao invés de nos concentrarmos exclusivamente em certos nutrientes individuais, precisamos também olhar o quadro como um todo, que é a necessidade de mantermos um ecossistema rico e saudável em nossos tecidos. Por isso, o que fazemos num determinado dia tem menos importância do que aquilo que fazemos constantemente, em longo prazo. 
Hoje ouvimos a famosa Harvard orientando a evitar consumo de grãos refinados, carne vermelha, processadas, bebidas açucaradas e alterando a antiga pirâmide alimentar para um sistema mais moderno, privilegiando percentualmente os vegetais e as frutas. 
Você deve estar pensando: morri!, minha vida vai ser chata só comendo o que não tem graça. No entanto, isso não quer dizer levar uma vida sem os prazeres da alimentação, pois também faz parte da nossa vida e contribui de outras formas para nosso bem estar. 
Como tudo na vida, o segredo é o equilíbrio e isso é exatamente o que não temos hoje, haja visto a questão ambiental causada pela produção de alimentos. Se não reduzirmos a demanda, reduzindo alguns tipos de alimentos e aprendendo a consumir outros, esse equilíbrio nunca se reestabelecerá. 
Por isso nas próximas semanas continuaremos. Falaremos sobre o bom e o mau alimento e quais são as fontes de cada um dos grupos: proteínas, carboidratos, gorduras, sais minerais e vitaminas. 
Assim você poderá começar a escolher o que ingere, fará escolhas mais conscientes e contribirá para o equilíbrio da cadeia de produção alimentar e de seu corpo.

Ótima semana pensando sempre no que ingere! 
Alimento e Você




Referências Bibliográficas: 
- Auto-perfeição com Hatha Yoga, Prof. Hermógenes
- Orientação Nutricional – Dra. Isabela Schnell
- Copyright © 2011, Harvard University. For more information about The Healthy Eating Plate, please see The Nutrition Source, Department of Nutrition, Harvard School of Public Health, www.thenutritionsource.org, and Harvard Health Publications, www.health.harvard.edu.


Nenhum comentário:

Postar um comentário